III SIRIM debate “A modernidade em Nepomuceno” com grandes nomes da música
16 de novembro de 2020
memes das eleições 2020
Foto do e-Título, apuração e mais: os memes das eleições 2020!
16 de novembro de 2020

Amamentação e anticoncepcional –o guia completo!

Para evitar uma nova gravidez, o anticoncepcional é sempre a melhor opção para quem está de volta à atividade sexual, após o período pós-parto, não é mesmo? Logo, o uso desses medicamentos mesmo durante a amamentação pode e deve ser usado. Por isso, o Pátio Hype preparou um guia completo com tudo que você precisa saber sobre o uso de anticoncepcionais no período da amamentação. Confere aí!

O anticoncepcional influencia na amamentação?

Os anticoncepcionais inibem a ovulação, ou seja, a mulher naturalmente não passa mais pelo período fértil. Além disso, a medicação também impede a formação de muco do colo do útero, e isso dificulta ainda mais a entrada dos espermatozoides.

Agora que você já sabe como o remédio funciona vamos entender em que ele afeta na amamentação. O anticoncepcional e seguro e não é prejudicial para o bebe! Entretanto, vale ressaltar que é importante que sua fórmula seja composta apenas pelo hormônio progesterona para que isso não interfira na produção de leite.

Qual o medicamento ideal?

Antes de qualquer coisa, lembre-se que toda e qualquer medicação deve ser tomada sob orientação médica! Dito isso, vamos listar 3 candidatos mais apropriados para a fase de amamentação. Confere ai!

Como já foi dito acima, o anticoncepcional indicado para se tomar no período da amamentação deve ser a base de progesterona, natural do corpo da mulher que previne a gravidez e colabora para a continuidade do leite materno até quando a mulher deseje amamentar.

  • Depo Provera – medicamento injetável e a base de progesterona com efeito prolongado. A depo provera fica no organismo por cerca de 3 meses e por ser um medicamento injetável, não pode ser interrompida no meio do tratamento, deve-se esperar o prazo recomendado e só então parar o tratamento.
  • Minipil – relativamente nova no mercado, essa medicação também tem sua formulação a base de progesterona e vem crescendo e ganhando espeço pela sua eficiência e rentabilidade.
  • Cerazette: de tratamento continuo sem pausa à base de progesterona sintética. Possui o progestáno isolado desogestrel como princípio ativo

E os efeitos colaterais?

Dores nas pernas, sensação de peso e inchaço abdominal são sintomas recorrentes. Portanto, não se assuste, ok? A diferença de aceitação da progesterona e também da dosagem servem apenas para inibir a ovulação.

Vale lembrar, que a progesterona para quem está amamentando costuma ser em doses bem baixas e cada organismo precisa de uma quantidade mínima de medicamento para funcionar.

Faça uma visita ao obstetra

Antes de ter relações desprevenidas, retorne ao obstetra que realizou seu parto e peça para ele avaliar e indicar a medicação certa para o seu corpo. Lembre-se de tomar pelo menos 20 dias da medicação, antes de ter uma vida sexual ativa e sem camisinha.

Mesmo sendo improvável, ainda é possível engravidar no primeiro e segundo mês pós parto, mas ainda assim é possível que aconteça. Por isso, veja as possibilidades alternativas de métodos contraceptivos como DIU ou até mesmo um implante. Dessa forma, sua vida sexual será muito mais tranquila, e será possível aproveitar com seguranças e sem maiores complicações.

E aí, curtiu? Conta para a gente se esclarecemos suas dúvidas sobre o anticoncepcional na época de amamentação, lembre-se sempre de visitar um médico antes de começar a tomar qualquer medicação e volte regularmente !

Fotos: Reprodução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *