OFF Outlet terá programação especial de São João durante o mês de Junho
7 de junho de 2018
Receita do dia – Sanduiche de forno gratinado
7 de junho de 2018

Com bom humor, ela disse ser péssima mãe e inspirou várias outras mães

Se ser mãe é padecer no paraíso, isso a gente não sabe… O que a gente sabe é que, independente do quanto se esforcem, muitas mães são julgadas por outras mulheres devido a atitudes que seriam bobagem se elas não tivessem filhos. E foi isso que levou Sia Cooper a se declarar logo uma péssima mãe e, assim, tentar acabar com as críticas constantes que recebe.

Em um texto para lá de bem humorado em seu Instagram e uma imagem que diz muita coisa, ela resolveu desabafar sobre o julgamento de suas escolhas parentais. E, também, chamar atenção para o fato de que não importa como ela escolha cuidar se seus filhos, sempre vai ter alguém para discordar, opinar e julgar, dizendo que ela é uma péssima mãe.

“Se eu ganhasse uma moeda por cada vez que eu chamada de ‘péssima mãe’, eu seria tão rica! Parece quase impossível ser uma boa ou politicamente correta nos dias de hoje, por que em todos os lugares há uma mãe julgando suas escolhas parentais. Estou certa?”. E falou isso ao lado de uma foto na qual ela aparece tomando vinho direto da garrafa, a filha comendo chocolate e o filho, com um tablet na mão.

If I had a nickel for every time I’ve been called a “bad mom,” I would be soooo rich! It seems almost impossible to be a textbook or politically correct good mom these days because everywhere you turn another mom is judging your parenting choices. Am I right?

I’ve been called a bad mom for:

Workout out during pregnancy.
Working out while having kids… period.
For caring about my looks and health.
Working out in Target.
Using canned goods and plastic crockpot liners.
Having tattoos and piercings.
Enjoying wine every now and then.
For letting my kids use technology.
For letting my kids have sugar and happy meals occasionally.
For not “covering up” around my kids.
For running a full time business from home.
For co-sleeping with my kids.
For collecting sports cars and motorcycles aka having a hobby.
For taking time for myself.
For having abs.

I’ve learned that the true “bad moms” out there are the ones who constantly tear other moms down by judging them. Those moms are the ones who are truly insecure and have strong feelings of inadequacy because why else would they do that? Misery loves company. There’s no one right way to parent or to be a mom.

We all are running in the same race and doing the best that we can. Motherhood is not a one size fits all-what works for one family may not work for the next. So who are we to judge another mom’s choices or reasoning? Being a mom is hard enough and if all the following make me a “bad mom” then I’ll gladly wear it proudly!

Here’s to all the bad moms out there. Follow @badmomconfessions to submit a confession or read other anonymous mothers’ spills! @todayshow @goodmorningamerica @theviewabc @thetalkcbs @theellenshow

Uma publicação compartilhada por SIA COOPER (@diaryofafitmommyofficial) em

Em seguida, ela fez uma lista dos motivos que as pessoas apontam para dizer que ela é uma péssima mãe:

  • Cuidar da aparência e saúde
  • Fazer ginástica durante a gravidez
  • Fazer ginástica depois de ter filhos
  • Usar produtos enlatados e potes de plástico
  • Ter tatuagens e piercings
  • Deixar as crianças usarem tecnologia
  • Deixar as crianças comerem açúcar ocasionalmente
  • Dormir com as crianças de vez em quando
  • Ter um tempo para cuidar das minhas necessidades
  • Colecionar carros e motos por hobby
  • Por tomar uma taça de vinho de vez em quando

Mas, gente… O que tem de mais nisso? É o que Sia também se pergunta. Para ela, o melhor jeito de se criar um filho é ficando livre do olhar crítico e dos julgamentos das outras pessoas – inclusive, outras mães! “Não há um caminho certo para ser pai ou mãe. Todos nós estamos na mesma jornada e fazendo o melhor que podemos. A maternidade não tem tamanho único – o que funciona para uma família pode não funcionar para a próxima. Então, quem somos nós para julgar as escolhas ou raciocínios de outra mãe?”

Ao final, ela ainda chama suas seguidoras para compartilharem suas histórias e lerem sobre outras “péssimas mães” pelo Instagram @badmomsconfessions.

Inspirador o depoimento, muito bem humorado e que deixa aquela pergunta no ar: por que se preocupar com a vida do outro mesmo, hein?

Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *