Exposições incríveis no Museu da Cultura Cearense
11 de abril de 2019
Os beijos que mais se encaixam de acordo com os signos
11 de abril de 2019

Direito de Família – 10 perguntas comuns sobre pensão alimentícia!

Pensão alimentícia é o valor estabelecido pelo juiz e que deve ser seguido pelo responsável, para a manutenção dos filhos e/ou do outro cônjuge.

Sempre surgem algumas dúvidas para quem está envolvido com esse processo ou conhece alguém que esteja passando por essa situação. Por isso, a equipe do Hype esclarece algumas das principais perguntas sobre Direito da Família. Então, desce mais um pouco e saiba tudo!

1.Quem deve pagar a pensão para os filhos?

Tanto o pai quanto a mãe podem pagar a pensão alimentícia aos filhos. No caso, quem não estiver com a custódia física do filho deve pagar entre 10% a 33% da sua renda salarial. Porém, se este não tiver condições de pagar esse valor, a responsabilidade vai para os avós.

2.Critérios que o juiz usa para decidir o valor a ser pago

Os dois principais critérios são o de necessidade, no caso, da criança, e o de possibilidade, para o devedor. Apesar do valor ser estabelecido por meio da proporção que o devedor ganha, as necessidades da criança também é analisada. Os pais podem fazer um acordo fora do tribunal, mas o valor que vale é o juiz que determina.

3.Até quando a pensão deve ser paga?

É normal que seja até os 18 anos de idade, porém se o seu filho for estudante, por exemplo, estar fazendo uma graduação ou algum curso de formação profissional, você deve continuar pagando. Resumindo, em regra, a pensão alimentícia vai no máximo até os 25 anos de idade.

4.Não pagou, o que deve acontecer?

Os seus bens e contas são penhoradas e você pode até ser preso. A pena varia entre 1 a 3 meses de prisão.

5.A pessoa que deveria pagar a pensão não tem condições financeiras, e agora?

O juiz determinou certo valor, porém, você foi demitido ou mudou de emprego e não tem condições de pagar o mesmo valor de antes, o que fazer? Peça uma nova revisão dessa quantia. No caso de não ter nenhum tipo de renda no momento, o juiz estabelecerá um prazo para que você se organize financeiramente e ao longo desse período, será preciso comprovar que está buscando por melhorias, ou seja, procurando por emprego.

6.Mesmo se a guarda for compartilhada, é necessário pagar pensão?

Sim, apesar da guarda ser compartilhada e possibilitar a divisão de responsabilidades, a criança costuma passar mais tempo com um dos pais. O que leva a outra pessoa responsável pagar uma pensão alimentícia.

7.O pai tem dois filhos, com duas mulheres diferentes. O valor da pensão tem que ser o mesmo?

Não obrigatoriamente. O valor será avaliado de acordo com as necessidades financeiras de cada filho.

8.O salário aumentou. O genitor precisa informar?

Depende. Bom, se o valor foi definido em porcentagem, sim e será automático. Entretanto, se foi fixado por meio de salários mínimos, o filho poderá entrar com uma ação para pedir um aumento do valor.

9.O pai ou a mãe estão com um novo companheiro. É preciso pedir revisão de valor?

Não, pois o novo companheiro do pai ou da mãe não tem responsabilidade de pagar alimentos para o enteado.

10.O casal resolveu se separar durante a gravidez, a mãe deve pedir pensão desde já?

Sim, a necessidade passa a ser para alimentos gravídicos e em seguida, quando a criança nascer, passa a ser pensão alimentícia.

Se ainda restou alguma dúvida sobre o assunto, comente logo abaixo que o Pátio Hype te responde, certo?

Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *