10 aplicativos que acabam com os recursos do seu smartphone
18 de janeiro de 2019
Bolinho da Tarde – 8 receitas práticas e deliciosas para fazer em casa!
18 de janeiro de 2019

Essa bailarina está quebrando estereótipos e arrasando na dança

Quando você pensa em balé, bailarinas e afins, o quê vem à sua mente? Mulheres esguias, magras, altas, em bodys e tutus, rodopiando em sapatilhas de ponta, certo? Pois é… Que imagem estereotipada, não é mesmo? Que tal começar a rever isso? Afinal, existem vários tipos de bailarinas, com diferentes corpos, e todas arrasando no que fazem… Não imagina isso?

Pois você precisa começar a seguir imediatamente o Instagram de Lizzy Howell, uma bailarina de 16 anos de idade que mora em Delaware, nos Estados Unidos. A menina arrasa tanto nos passos de daça que mais do que quebrar estereótipos, ela vem encantando a todos na internet!

Tudo começou há uns dois anos, quando um vídeo das aulas de balé de Lizzy acabou se tornando viral. Ninguém sabe exatamente como e por que o vídeo se popularizou tanto, mas a menina fica muito feliz que isso tenha acontecido. “Estou muito feliz que alguém tenha me descoberto. É uma grande novidade para as pessoas de onde vivo”, disse a bailarina ao site BuzzFeed.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

roughly two years ago this week, a video went viral of a 15 year old “fat girl” with poor technique from little delaware. two years ago my life changed, and it’s been the craziest two years of my life. never thought i’d be able to have all of these opportunities, or get to share them with thousands of followers. in 2019, i will show more of who i am, and i’m looking forward to finding myself again. I lost myself trying to be the “perfect” role model, when there is no such thing. I tried to portray my life as all rainbows and sunshine when it wasn’t. 2019 will be a year of learning to be me again, a year where i won’t be afraid to show the hard times of my life, and a year of focusing on my training.

Uma publicação compartilhada por Lizzy Howell (@lizzy.dances) em

E no discurso de Lizzy não existe espaço para a expressão “plus size”. Apesar da jovem adorar toda a positividade corporal e empoderamento, ela não quer ser rotulada de forma alguma e muito menos ser categorizada de uma forma diferente que suas companheiras de balé. “Se eu posso fazer tudo que qualquer pessoa pode, por que eu devo ser colocada em uma categoria separada?”

Boa, garota!!!


Mas agora que ela está ganhando popularidade na internet, além do empoderamento corporal, ela está chamando atenção para o pseudotumor cerebri, uma condição médica que aumenta a pressão sanguínea intracraniana sem nenhum motivo aparente. Lizzy foi diagnosticada com essa condição e usa a dança para lidar com a dor e com a ansiedade que o diagnóstico trouxe consigo… Ai gente, quanto amor por essa menina!

mario kart vibes @_filledwithjoy

Uma publicação compartilhada por lizzy howell (@lizzy.dances) em

Fotos: Reprodução/Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *