É hora de morar juntos?
11 de abril de 2014
Fortaleza e Jeri entre os 10 melhores destinos do Brasil
11 de abril de 2014

Filme conta a história da descoberta de ser homossexual de um cego

1962836_644220758965421_55104748_n

O filme é dirigido por Daniel Ribeiro e é baseado no curta de 2010, que teve uma ótima recepção do público e da crítica, do próprio cineasta e é protagonizado pelo mesmo trio. O tema central de Hoje Eu Quero Voltar Sozinho é a fase da adolescência, o período de descobertas e amadurecimento. O primeiro longa-metragem de Daniel estreou nesta quinta-feira (10) e conta a história de Léo e Gabriel que descobrem que uma relação que é muito mais que amizade.

Apesar de enfrentar diversos problemas na escola, como alunos que tentam sacaneá-lo em algumas situações, os maiores problemas de Léo são enfrentados em casa. O garoto, que nasceu cego, é super protegido pelos pais. Por sentir incompreendido pelos pais, seu maior sonho é embarcar em um programa de intercâmbio internacional e finalmente se sentir livre. Como isso não é possível, ele conta com a ajuda de sua amiga Giovana, que o acompanha até em casa todos os dias. Léo também conta com o apoio da avó, que o aconselha sempre que ele a visita.

1487455_612766192110878_1084872965_n

Tudo muda para Léo quando Gabriel chega à sua escola. Os meninos tem uma forte ligação logo que se conhecem e isso incomoda um pouco Giovana, que passa a rejeitar a amizade dos dois, mesmo sem querer. Passando cada vez mais tempo juntos, os garotos descobrem que a vida pode direcioná-los até ao que eles nem imaginaram.

O filme foi premiado em Berlim, no início de 2014, com o prêmio Teddy Bear, destinado a filmes com temática homossexual. O filme aborda duas questões que poderiam sofrer preconceito: cegueira e homossexualismo. De forma muito inteligente, porém, o roteiro se concentra no amor romântico e explora a descoberta sexual de Léo. O diretor afirma que a ideia inicial era fazer o longa, mas para isso era necessário conseguir recursos e por isso o curta foi lançado.

1001593_563233930397438_1360647080_n

Os protagonistas garantem que não sofreram nenhum tipo de preconceito. “Até agora nada de preconceito, absolutamente. Na verdade, é exatamente o contrário. Todo mundo aceitou bem, até minha vó que é bem conservadora. Ela achou o personagem delicado e meu deu parabéns por ele”, contou Fabio Audi, que interpreta Gabriel. Ghilherme Lobo, que interpreta Léo, conta que na época que filmava o curta, um garoto tentou fazer piada, mas foi censurado pelos outros colegas.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=f_lPjbk5itc[/youtube]

 

Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *