Bloquear ou não o ex da vida online?
11 de julho de 2016
Estão abertas as inscrições para a 1ª pós-graduação em nutrição vegetariana do País
12 de julho de 2016
É sabido que o País está enfrentando uma das piores crises econômicas dos últimos 50 anos, mas será que esse é o único motivo que leva os brasileiros a andarem mais cautelosos e dispostos a pagar o que devem, ao invés de comprar?
De acordo com uma enquete realizada Portal da Assembleia Legislativa do Ceará, entre os dias 4 e 11 de julho, a maioria dos internautas vão usar 13º salário para pagar dívidas. Para o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, deputado Odilon Aguiar (PMB), o resultado  da enquete revela um cenário onde a maioria dos brasileiros está cauteloso com o atual cenário econômico.

A enquete questionou os internautas sobre  como gastariam a primeira parcela do 13º salário paga neste mês. A maioria, 66,7%, afirma que vai utilizar o 13º salário para pagar dívidas acumuladas nos meses anteriores. Outros 25% preferem guardar para possíveis mudanças no cenário financeiro nacional. Já 8,93% querem fazer uma viagem ou comprar algo.

“Isso demonstra o quanto o brasileiro, não apenas o cearense, vem sofrendo com a crise econômica. A situação é grave, merece reflexão e um esforço conjunto para que essa situação de desemprego e crise econômica seja superada o mais rápido possível”, pontuou o deputado Odilon Aguiar.

13° salario 2

Para o economista e professor da Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade da Universidade Federal do Ceará (UFC), Henrique Félix, os dados mostram a cautela da população na hora de gastar o 13º salário. “As pessoas estão muito cautelosas, com muitas incertezas na cabeça. O consumo não está em primeiro lugar”, pontuou.

Ainda segundo o professor, as pessoas querem pagar as dívidas para não incorrer em juros maiores e se precaver para algum resultado negativo nessa época de recessão. “Elas estão certíssima nas escolhas: pagar as dívidas anteriores sempre é muito bom. E também poupar um pouco para se precaver de um futuro incerto”, reiterou.

É, pelo visto o comércio varejista ainda vai encontrar um consumidor extremamente cauteloso por um bom tempo.

Fotos: Reprodução. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *