Cariri recebe IX Seminário do Selo Ceart promovido pelo Governo do Ceará
23 de janeiro de 2018
Mudanças no Simples Nacional vão impactar pequenos negócios
23 de janeiro de 2018
 Uma semana de conscientização e de incentivo a luta contra os homicídios de jovens e adolescentes no Ceará. Assim será a Semana Estadual de Prevenção aos Homicídios de jovens, que passa a integrar o calendário oficial do Estado do Ceará. A lei16.482/2017 foi sancionada na semana passada pelo governador do Estado, Camilo Santana, oficializando no calendário oficial do Estado o projeto, que é de autoria do deputado Renato Roseno (Psol). O projeto como um todo foi aprovado em um contexto de aumento das mortes violentas de adolescentes e jovens nos municípios cearenses, especialmente na Capital Fortaleza, que hoje concentra cerca de 40% dos assassinados de adolescentes no Estado.

No ano de 2017, o Estado do Ceará bateu o recorde de 5.134 pessoas assassinadas, sendo a maioria das vítimas jovens. “A nossa geração tem a responsabilidade de garantir que todos os jovens vivam”, defendeu Renato Roseno, que é relator do Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CCPHA).

A Semana de Prevenção aos Homicídios de Jovens é a que incorpora a data de 12 de novembro, declarado Dia Estadual de Prevenção aos Homicídios de Jovens. O registro ocorre em memória à Chacina de Messejana, que vitimou 11 jovens, nove dos quais adolescentes, na madrugada de 12 de novembro de 2015, mortos por agentes policiais em Fortaleza.

A inserção da agenda no calendário oficial do Estado “possui o objetivo de sensibilizar a população acerca do alto índice de mortalidade juvenil no Estado do Ceará, bem como de promover debate entre a sociedade civil e a administração sobre as políticas públicas de prevenção que contribuam para reduzir esse índice”. Atualmente, Fortaleza e Ceará lideram o Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) no País.

A lei 16.482 prevê ainda que, durante a Semana Estadual de Prevenção aos Homicídios de Jovens, o poder público poderá realizar – em parceria com movimentos sociais da juventude, entidades da sociedade civil e universidades – debates, palestras, campanhas, manifestações e atividades de mobilização contra a violência letal na juventude.

É preciso entrar cada vez mais de cabeça na importante luta para prevenir que mais jovens morram em nosso estado e ações como esta são de suma importância para a conscientização da população e para que cada vez mais pessoas atentem-se ao problema e promovam possíveis soluções!

 

Fotos: Reprodução

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *