Detox na Mente – Técnicas terapêuticas para combater o stress mental
12 de fevereiro de 2019
Unhas que explodem – A nova nail art bizarra
13 de fevereiro de 2019

Mineira encara o desafio de escalar o Evereste sozinha – e consegue!

O que passa sua cabeça quando alguém te fala sobre escalar o Evereste? Que é coisa de doido? Uma missão impossível? Que só é para quem tem muito dinheiro sobrando e nada melhor para fazer na vida? E fazer isso sozinha, sem guia? Definitivamente, coisa de quem perdeu o juízo? Pois a história dessa mineira vai te mostrar que não é nada disso…

Mariela Vasconcelos é bióloga e, desde 2015, vive uma vida nômade. Influencer de viagens, ela saiu do interior de Minas Gerais para conhecer o mundo. Já trabalhou como instrutora de mergulho na Tailândia, já morou no Havaí, estudou em Londres e muito mais. Sempre registrando suas aventuras em seu Instagram.

Pois bem, em 2018, ela resolveu que queria escalar o Evereste, a montanha mais alta do mundo. Porém, ela não tinha dinheiro para pagar um guia dessas agências que organizam tudo para você. Então, ela tomou uma decisão: iria realizar esse feito sozinha.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por mariela | travel. write. dream (@marielaviaja) em

À revista Glamour, a mineira fez o relato de sua viagem. Nela, ela contou que se preparou muito para o feito. “Para me preparar, baixei uns 10 livros no Kindle, devorei blogs e fui estudando. Calculei a rota, baixei alguns mapas e também comprei outros.” A bióloga conta ainda que várias vezes a aconselharam a não fazer a rota sozinha. “E lidar com essa advertência foi a maior dificuldade que encontrei! Mas se isso me dava algum medo, também fazia com que eu me sentisse mais corajosa.”

Ela descreve as belas paisagens pelas quais passou e a emoção de alcançar o topo do mundo. “Uma vez lá, fiquei encantada com as belas paisagens, com o silêncio, com a conexão da natureza exterior e a minha interior. A mochila de 10 quilos passou a ser só um detalhe durante todos aqueles dias andando, e tudo era motivo para superar. Senti frio, mesmo muito agasalhada. Chorei de emoção e cansaço várias vezes.”

 

Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por mariela | travel. write. dream (@marielaviaja) em

Ao final, ela parabeniza as mulheres que, assim como ela, conseguiram o feito, sozinhas ou em grupo. E destaca que, infelizmente, ainda são poucas as mulheres no Evereste. “Não podemos parar. Que a gente vá mais e mais longe. Precisamos espalhar esse Poder Feminino. Viajo sozinha por muito tempo. O medo existe, não vou dizer que não. Eu o enfrento. E essa deve ser a atitude.”

Inspirador, não? Você pode ler o relato completo – e se inspirar ainda mais! – no perfil do Instagram de Mariela.

Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *