Zoe Kravitz + YSL – Parceria quentíssima de beleza
12 de novembro de 2019
The Red Blue Trio estreia em Fortaleza com show no Café Couture nesta quarta-feira (13)
13 de novembro de 2019

Morar Junto – 6 regras financeiras para casais!

Decidiu morar junto com o seu parceiro? Saiba que você não é uma exceção. De acordo com pesquisas, em 2016, 18 milhões de adultos viviam com seu companheiro não casado, crescimento de 29% relacionado ao ano de 2007.

Ao se preparar para morar juntos, provavelmente você sentirá uma mistura de expectativas com medo, afinal, será uma nova etapa da sua vida, passando bastante tempo ao lado do seu parceiro. Além disso, mais do que nunca, as diferenças entre o casal ficarão ainda mais evidentes e, dentre elas, pode estar a organização financeira.

Por essa razão, logo abaixo, o Pátio Hype listou seis dicas para manter as finanças sob controle. Dá só uma olhada!

1.Conversem sobre os objetivos

A dica do embaixador de educação financeira do Chase Slate, Farnoosh Torabi, é: discutir sobre as suas metas. Por exemplo, coloquem na conversa perguntas como, vocês querem morar em um lugar maior? Quem comprar uma casa juntos? Querem se casar? Dessa forma, o elo entre parceiros será ainda mais forte e trabalharão juntos em busca de algo. Sendo mais fácil identificar essa “coisa”.

2.Identifique as pontuações de crédito de cada um

Pode parecer estranho entrar nessas questões logo no início do relacionamento, porém, é necessário ter conhecimento sobre quais os salários exatos, assim como as pontuações de crédito, dívidas de cada um e poupanças. Entretanto, só será possível descobrir qual o perfil financeiro de cada um, a partir dos pontos acima. Uma boa opção é esperar entre seis a 12 meses para quitar dívidas, arrumar o crédito e só assim começar ter uma vida a dois estável.

3.Tenha um plano para dividir as despesas

Não existe uma estratégia certa para dividir despesas, por exemplo, ao fazer a divisão 50/50, pode ser que o seu parceiro ganhe menos do que você, ou seja, enquanto para você é confortável esse valor, para ele, pode estar além dos limites, resultando em estresses ou ressentimentos. Tenha em mente de que vocês são um casal e não colegas de quarto, não é necessário controlar cada centavo, pois você já está dando o valor acordado justamente. Quanto ao ideia de tentar misturar os dinheiros, o fundamental é fazer um teste primeiro, assim você saberá se essa atitude é a ideal.

4.Faça um acordo de coabitação

Acordo de coabitação são planos escritos de como você vai organizar responsabilidades como um casal que mora junto. Ao adotar esse método, considere-o como um documento, porém, flexível e podendo ser alterado de seis em seis meses. Para começar descreva todas as suas contas e despesas, datas de vencimento e quem é responsável pelo pagamento. Se você desejar, inclua também o que acontece caso aconteça um rompimento. Por exemplo, dividir móveis ou cartão de crédito em comum.

5.Programe as datas de pagamento e recebimento

Reserve um dia para sentar-se com o seu companheiro e analisar como está a situação financeira atual. Torabi sugere fazer um login e acompanhar as contas bancárias, para fazer um monitoramento de crédito on-line. Com a correria do dia-a-dia é fácil esquecer os check-ins, então, coloque-os em sua agenda. Mantenha esse hábito a cada trimestre.

6.Crie uma estratégia para o caso de rompimento

Mantenha contas importantes em seu nome, para facilitar o corte de ligações, e tenha economias para emergências financeiras. Por exemplo, se a conta de luz for no seu nome, após a separação, você pode alterar apenas o endereço, por isso é essencial ter uma identidade financeira separada.

Por fim, ninguém se importa com o seu dinheiro mais do que você. O seu parceiro se preocupa com você, assim como também quer o melhor para você, entretanto, falando do seu dinheiro, você é mais consciente disso e sabe como investir.

Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *