David Lee – Criações do estilista cearense chegam a São Paulo
3 de dezembro de 2019
Fogo no c*? Influencer afirma que pegar sol no períneo aumenta energia no dia a dia
3 de dezembro de 2019

Morte, traição e mais: A sombria história por trás de Frozen

O mundo das animações pode ser praticamente dividido entre antes e depois de Frozen. O longa, de 2013, faz sucesso ainda hoje nas festinhas infantis, tanto que, este ano, ganhou sua primeira continuação. As irmãs Elsa e Anna conquistaram o coração de crianças e adultos em todo o mundo e atire a primeira bola de neve quem nunca se pegou cantando let it gooooo por aí. Mas sabiam que tudo poderia ter sido bem diferente??? Para começar, nem todo mundo sabe, mas Frozen foi inspirado em um antigo conto infantil conhecido como A Rainha da Neve. E, há cerca de 75 anos, a Disney tenta adaptá-lo para os cinemas. Mas, porque demorou tanto tempo? Bom, desde dificuldades de adaptação a reviravoltas no roteiro, confira só a tenebrosa e polêmica história dos bastidores desse sucesso!



Para começar, A Rainha da Neve é um conto de Hans Cristian Andersen, que escreveu outros contos adaptados pela Disney, como A Pequena Sereia. E assim como na história de Ariel, a história das irmãs é bem diferente da mostrada pela Disney. Andersen sempre dava um tom sombrio às suas criações, que quase sempre tinham finais terríveis ou violentos.

No conto original, demônios criam um espelho amaldiçoado que mostra o pior das pessoas. Porém, ele se quebra e quer é atingido pelos estilhaços tem seu coração congelado e não consegue amar ninguém. Dois irmãos chamados Kai e Gerda acabam sendo atingidos. Kai tem seu coração congelado, o que o leva a ser sequestrado pela Rainha da Neve. A Rainha faz com que Kai esqueça totalmente de sua irmã, Gerda. Já Gerda consegue se livrar da maldição com o poder da fé, e parte em busca de resgatar seu irmão e descongelar o coração dele.

Como se isso já não fosse difícil o suficiente para adaptar para um filme infantil, os roteiristas não sabiam como traçar as personalidades das personagens. Por exemplo, como criar uma Rainha que fosse simplesmente má, sem motivo algum por trás da maldade? Então vários roteiros foram feitos antes da animação definitiva.

Em um deles, Elsa e Anna sequer eram irmãs. Elsa seria a vilã com poderes de gelo e que, após ser deixada no altar, congelaria o próprio coração. Vendo que nem isso aliviaria sua dor, ela ia, aos poucos, afundar o reino de Arendelle na neve. Anna seria uma nobre e feliz camponesa que tentaria reverter essa situação com a ajuda de Hans, o tal príncipe que abandonou Elsa. Ao chegar lá, Hans mostraria suas reais intenções. Ele quer, na verdade, o reino para si, e acaba colocando tanto Elsa quanto Anna em perigo. E seria nesse momento que Elsa, ao ver que Anna poderia morrer na tentativa de salvar a cidade, descongelaria o próprio coração e descobriria o poder do amor.

Bem diferente, não é mesmo?

No fim das contas, a Disney acabou decidindo que Elsa e Anna seriam irmãs. Assim conseguiriam dar uma motivação para Elsa: o medo de machucar a irmã. E, ao final, conseguiram fazer algo diferente das demais histórias Disney: o amor que salva é o da família, e não o de um príncipe.

Ainda bem que mudou e virou a versão que tanto adoramos!

Fotos e vídeos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *