Roberto Cláudio e Camilo Santana assinam ordem de serviço para construção de nova Areninha no Mondubim
18 de abril de 2018
Literatura, teatro e cultura popular na Maloca Dragão 2018
19 de abril de 2018

Museu de Arte Contemporânea apresenta Simultâneos

A exposição /Simultâneos/  é um bloco composto por cinco pequenas mostras. O maranhense Thiago Martins de Melo apresenta um conjunto poético que convida o público a discutir o colonialismo por meio da metanarrativa. Com o filme de animação “Barbara Balaclava” (2016), o artista apresenta a trajetória de uma mártir anônima desde a desapropriação e massacre de sua aldeia e sua morte sob tortura policial até sua experiência como “encantada” encontrando a si mesma em encarnação anterior e culminando em seu batismo no coração de Pindorama. Bárbara balaclava é uma narrativa anarco-xamanista de transcendência da luta anticolonialista.

/Simultâneos/ traz ainda “Montar uma Ruína”, de Lis Paim. A artista visual baiana radicada em em Fortaleza exibe, pela primeira vez, seu arquivo audiovisual constituído a partir da edificação em ruína do Alagoas Iate Clube – o Alagoinha, um antigo clube modernista localizado dentro do mar da orla de Ponta Verde, na cidade de Maceió (AL). Alvo de peculiares ocupações transitórias e de ameaças constantes de desaparecimento desde o momento da sua desapropriação e abandono pelos vários governos em Alagoas, a imagem do Alagoinha na paisagem urbana e? a de um ape?ndice; uma aresta consentida e mal aparada de Maceio?: um lugar de limbo.

Em outra sala, o MAC|CE apresenta fragmentos de álbuns de família da cidade de Várzea Alegre/CE, a partir de um conjunto de imagens produzidas pelo “Studio Saraiva” e pela artista “Telma Saraiva”, que evidencia a sofisticação de pensar, executar e reinventar a fotografia na metade do século passado no Cariri cearense (Crato/CE), ao inovar, à época, com o uso da fotopintura, detalhamento de fotografias a partir de pintura com tintas, o que a projetou nacionalmente.

Na Sala Experimental, a curadora Carolina Vieira elege algumas obras do Acervo MAC e da Pinacoteca do Estado do Ceará, e aproxima de um recorte de artistas, homens e mulheres que apresentam, de alguma maneira, a energia feminina ao exibir imagens que remetem às noções de trama, memória, conexão e rede de apoio, muito comum ao universo da mulher. O trabalho manual aparece em obras que envolve tapeçaria, desenhos, instalação e pinturas. Como recepção do visitante esta sala apresenta duas obras bastante significativas, uma imagem de nossa senhora do Euzébio Sloccowick e uma gravura de Nossa Senhora dos Escribas do Francisco de Almeida. Elas são o ponto de partida para pensar organização das demais obras da sala.

Além das quatro minimostras que permeiam, de alguma forma, o universo feminino, /Simultâneos/ apresenta ainda a instalação “Você Gostaria de participar de uma experiência artística? Circulação & repouso”, de Ricardo Basbaum, que convida o público à participação. O artista paulista propõe o envolvimento do outro como participante em um conjunto de protocolos indicativos dos efeitos, condições e possibilidades da arte contemporânea. O projeto se inicia com o oferecimento de um objeto de aço pintado (125 x 80 x 18 cm) para ser levado para casa pelo participante (indivíduo, grupo ou coletivo), que terá um certo período de tempo (em torno de um mês) para realizar com ele uma experiência artística.

Serviço:
/ Simultâneos /
Museu de Arte Contemporânea do Ceará (MAC-CE)
Visitação: até 29 de abril de 2018, de terça a sexta-feira, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30); e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (com acesso até as 20h30). Gratuito

 

Fotos: Reprodução/Fonte:Dragão do Mar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *