Tomar cerveja todo dia pode fazer bem à saúde
23 de outubro de 2015
Apenas um rolo de papel higiênico? Não!
23 de outubro de 2015

Quer fazer uma graduação em Portugal? Com uma boa nota no Enem, isso é possível


No próximo final de semana, muitos estudantes em todo o País estarão realizando o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Se você sempre teve o sonho de fazer uma graduação em outro país, esta pode ser a sua grande oportunidade! É possível utilizar a sua nota do Enem para pleitear uma vaguinha em uma das seis universidades de Portugal que aceitam a utilização da nota do exame para o ingresso de novos alunos em seus cursos.

Desde 2014, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) tem acordo firmado com as universidades portuguesas de Coimbra e Algarve, com o Instituto Politécnico de Leiria (IPL), o Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) e o Instituto Politécnico do Porto. Este ano, também foi incluído na lista o Instituto Politécnico de Portalegre (IPP).

A pontuação mínima exigida varia conforme a universidade, assim como as mensalidades e custos com hospedagem e alimentação. Para concorrer a uma vaga em uma das universidades portuguesas, os candidatos não podem ter nacionalidade de algum Estado-membro da União Europeia ou residir legalmente há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em Portugal.

O Instituto Politécnico de Portalegre é das opções ofertadas aos brasileiros.

O Instituto Politécnico de Portalegre é das opções ofertadas aos brasileiros.

Estudar fora pode ser um grande diferencial no currículo, mas é uma decisão que deve ser cuidadosamente pensada, pois afeta toda a carreira do estudante. Portugal tem o costume consolidado de se relacionar bem com o Brasil, inclusive com regras mais simples para que os brasileiros possam estudar e trabalhar por lá.

Para os estudantes que pretendem migrar para este país europeu, ingressar em uma das universidades portuguesas é uma ótima oportunidade. Já para aqueles que pretendem voltar ao Brasil, é preciso atentar ao fato de que as universidades portuguesas têm graduações de três anos, o que não é suficiente para ser bacharel ou licenciado no Brasil.

 

Fotos: Reprodução. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *