Os sapatos da vez!
13 de agosto de 2015
Saiba como agir em caso de assédio moral no trabalho
13 de agosto de 2015

Vereador cobra mais adaptação para deficientes em Fortaleza

Só quem é deficiente sabe a dificuldade de viver e de se locomover em locais de difícil acesso e adaptação para eles, não é verdade? Fortaleza bem que vem investindo nestas adaptações, tais quais ônibus e táxis adaptados, calçadas para cadeirantes, dentre outras melhorias. Mas a ideia é que a cidade se adapte ainda mais. Pelo menos no que depender de um vereador da Câmara Municipal de Fortaleza.

O vereador Jovanil Oliveira (PT), em uso da tribuna nessa manhã de quarta-feira, 12, fez considerações sobre as políticas públicas voltadas para pessoas com deficiência em Fortaleza. “Há pequenos avanços em políticas públicas, muito aquém do necessário para garantir a dignidade humana dos cidadãos com deficit de mobilidade”, relatou. O parlamentar iniciou retratando a Declaração Universal dos Direitos Humanos que considera que o reconhecimento da dignidade é inerente a todos os membros da família humana e dos seus direitos iguais e inalienáveis que constitui o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo.

jovanil01Jovanil destacou que a Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, responsável pela coordenação do Programa “Viver sem Limites”, informa que segundo o Censo 2010, o país possui 45,6 milhões de pessoas com alguma deficiência, o que representa 23,91% da população. O vereador evidencia que esses dados apontam um grupo populacional que, apesar de significativo, não possuem visibilidade.

O petista relatou que no governo da ex-prefeita Luizianne Lins, houve a criação da primeira coordenaria de políticas para as pessoas com deficiência. Luizianne promoveu a inclusão cidadã desse grupo social e ainda teve a responsabilidade de implantar em Lei a Política Pública de Atenção às Pessoas com Deficiência – PADEF/Fortaleza, lei 9.868 de 30 dezembro de 2011. No entanto, no atual governo, o prefeito Roberto Cláudio descumpriu algumas promessas, principalmente a implantação das políticas de atendimento das pessoas com deficiência, “relegando essa população ao segundo plano”.

O parlamentar apresentou no púlpito, uma matéria veiculada pelo Jornal Diário do Nordeste, em Julho de 2013, no qual o prefeito prometia a construção de quatro novos centros de reabilitação fisioterapêutica -CER, até meados de junho de 2014. As novas unidades seriam inspiradas no Núcleo de Atenção Médica Integrada (Nami) da Universidade de Fortaleza (Unifor), o que não saiu do papel.

“O que me causa indignação é que muitos que precisam desse atendimento. Porque nem o NAMI que é classificado atualmente como um CER II e teria toda as condições de se transformar em um CER IV (que se habilita as deficiências auditiva, física, intelectual e visual). Muito menos foram criados os quatro centros prometidos pelo próprio prefeito”, finalizou.

Fotos: reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *