Leitura do fim de semana: Rápido e devagar
16 de outubro de 2020
“Dia D” contra sarampo e poliomielite contará com 144 pontos de vacinação em Fortaleza
16 de outubro de 2020

Assembleia Legislativa aprova proposta que cria Semana do Lixo Zero

Uma iniciativa em prol de mais sustentabilidade e consciência coletiva no Ceará! Assim será a Semana Lixo Zero, proposta aprovada na sessão plenária da Assembleia Legislativa na última quinta-feira (16), que objetiva promover debates e a conscientização sobre a importância da temática dos resíduos sólidos entre os diversos setores da sociedade, além de incrementar políticas públicas socioambientais.

A ideia do deputado Nezinho Farias (PDT), autor do projeto de lei 613/19, é que as atividades ocorram na última semana de maio, em alusão ao Dia Internacional da Reciclagem, comemorado em 17 de maio no Ceará.

O parlamentar argumenta que as mudanças climáticas são um dos maiores problemas ambientais da atualidade. “Pela primeira vez na história da Terra, as mudanças climáticas estão sendo promovidas pela ação antrópica e, assim, é inegável o peso da mentalidade do descarte de resíduos nesses impactos”, avalia.

Nezinho Farias observa que os resíduos sólidos são responsáveis por uma grande variedade de gases estufa, do carbono a outros elementos que são causadores das chuvas ácidas, como o enxofre, até resíduos nucleares que continuam sendo largados no ambiente em diversos países.

Outra problemática levantada pelo deputado é a falta de locais adequados para o descarte, assim como o gerenciamento desses resíduos pelas indústrias e população. “Boa parte da indústria ainda não adequou seus processos produtivos para a redução e o reaproveitamento de matérias-primas, e temos o eterno problema das embalagens”, acrescenta.

Conforme o deputado, a Semana Lixo Zero visa promover a discussão sobre o assunto, por meio do apoio a ações educativas e de conscientização; realização de palestras e fóruns com a temática dos resíduos sólidos; promoção de uma economia circular, solidária e voltada para a inclusão social; incentivo ao consumo consciente; visitas técnicas em aterros, cooperativas e empresa de coleta de resíduos; estímulo e favorecimento à reciclagem, compostagem, reutilização e a não geração de resíduos sólidos, além da promoção de mutirões de limpeza, entre outras atividades.

A iniciativa já ocorre em mais de 10 cidades, distribuídas em quatro estados brasileiros, e no Uruguai. Em Fortaleza, foi instituída pela Lei Municipal 10.828, de 27 de novembro de 2018.

Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *