entenda o conceito do midsize
Midsize – Nem gorda, nem magra, entenda!
16 de setembro de 2021
Vamos de música com o projeto “O Som da Barra”?
16 de setembro de 2021

Coveiro autista viraliza no Tik Tok mostrando sua rotina em cemitério

coveiro autista

Se tem duas coisas que despertam a curiosidade de muita gente é o autismo e a profissão de coveiro. Depois do sucesso de séries como Atypical e O Bom Doutor, muitas pessoas passaram a buscar entender mais sobre pessoas autistas. E a profissão de coveiro, bem, por si só já causa estranheza e curiosidade mesmo. Pois bem, Rafael Chaves é os dois e tem feito sucesso no Tik Tok com vídeos que mostram como é sua rotina enquanto coveiro autista.

Morador da cidade de Morro Agudo (SP), Rafael começou a fazer vídeos para o Tik Tok em março deste ano. Só que, no aplicativo, ele conta um pouco sobre como foi sua vida antes e depois do diagnóstico de Síndrome de Asperger, que faz parte do Transtorno do Espectro Autista (TEA). Em entrevista ao portal G1, Chaves contou que desde pequeno teve dificuldades, mas que sua família achou que ele fosse simplesmente hiperativo. Mas com a ajuda da esposa Silvia, ele acabou descobrindo ano passado que é autista.

coveiro autista

Sucesso no Tik Tok

E foi com a ajuda de Silvia que o coveiro autista criou o canal Casal Neuroatípico no Tik Tok. Em questão de meses, eles já ultrapassaram a marca dos 350 mil seguidores. Além de falar sobre seu diagnóstico e a vida como autista, Rafael também mostra um pouco dos bastidores da sua peculiar profissão. Antes de assumir esse posto, Rafael trabalhava como vendedor de uma loja de motos. Porém, após ter um câncer no testículo que o impediu de andar de moto, ele acabou sendo demitido.

@casalneuroatipico

#ONEFLAG #casalneuroatipico #HidralureiChallenge #fy #foryou #foryourpage #fypシ #IssoOTikTokMostra #autista #fya #asperger

♬ som original – Casal Neuroatípico

Em julho de 2020 pleno pico da pandemia, ele começou a trabalhar como coveiro no cemitério municipal de sua cidade. “O autismo me atrapalha um pouco, a convivência. Sempre gostei de ficar sozinho, a vida toda nunca fui de muitos amigos. Aqui [cemitério], quando não tem nada para fazer, fico sentado dentro do meu carro ou embaixo de uma árvore lendo um livro ou alguma outra coisa”,  conta.

Rafael pensa em, futuramente, incluir vídeos sobre sua paixão por cozinhar no canal e, quem sabe, abrir um trailer de lanches.

Fotos e vídeo: reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *