Sacolas plásticas são coisas do passado
30 de maio de 2011
Luxo ecológico!
30 de maio de 2011

Ella Fitzgerald, a primeira-dama do Jazz


Uma mistura de tradições musicais, assim é conhecido o Jazz. E falar no ritmo tipicamente norte americano sem lembrar de Ella Fitzgerald é praticamente impossível. Relembramos aqui um pouco da vida e  da obra da “Primeira Dama da Canção”, como ficou conhecida a cantora que reinou absoluta com uma carreira de 59 anos de duração.

Com habilidade de improviso e uma extensão vocal rara, com capacidade de abranger até três oitavas, a menina nascida em  Newport News, em 25 de Abril de 1917, conquistou o mundo. Assim como quase todos os cantores de Jazz, Ella veio de uma família pobre e enfrentou muitas dificuldades. Após a separação dos pais, foi morar em Yonkers, Nova York, com a mãe.  Ainda na infância, ouviu pela primeira vez Louis Armstrong e Connee Boswell, cantora idolatrada por Ella Fitzgerald.

A perda da mãe, em 1932,  fez a cantora se envolver em problemas com a polícia e prejudicou seu rendimento escolar. Na mesma época, Ella arranjou um emprego em uma casa de apostas ligada à máfia. Depois de viver um tempo na rua, foi levada para um orfanato em Riverdale, no Bronx, em Nova York.

Em 1934, com 17 anos, Ella Fitzgerald foi ao Teatro Apollo, um dos mais importantes do Harlem, apresentar um número de dança, mas o nervosismo a impediu de dançar e Ella preferiu cantar. Em 1935,  surgiu a oportunidade de se apresentar com a banda Big Band de Tiny Bradshaw, na Harlem Opera House. Foi no período da apresentação que a cantora conheceu o vocalista da banda, Chick Webb, que ofereceu a ela uma oportunidade de teste em um baile na Universidade de Yale. No mesmo ano Ella gravou canções de sucesso que despertaram a atenção do público e da mídia para sua carreira, como  “If you Can´t Sing it ” e  “Have to Swing It”.

Em 1941, Ella casou-se com o ex- traficante de drogas, Benny Kornegay; a união foi anulada dois anos depois. No ano seguinte,  já em carreira solo,  a diva do Jazz ganhou ainda mais destaque, notoriedade e a descrição de “Uma das mais influentes gravações vocais de jazz da década”, pelo New York Times.

Ella casou-se pela segunda vez em 1947, com o Ray Brown, um famoso contrabaixista. Os dois adotaram o filho da meia-irmã de Ella, Frances. A criança recebeu o nome de Ray Brown Jr. e acabou sendo criada pela tia da cantora. A partir 1955 – ano também em que a diva interpreta Maggie Jackson, no filme Pete Kelly´s Blues – começa um período crucial na carreira da cantora. O “Ella Fitzgerald Sings the Cole Porter Songbook” foi um dos primeiros songbooks, livros impressos com partituras, lançados por Ella. O trabalho foi aclamado pela crítica, inclusive do New The Times.  Em 1974, Ella Fitzgerald gravou o “Ella in London”, com o pianista Tommy Flanagan.

Devido a problemas de saúde e a visão afetada, Ella se afastou cada vez mais da vida pública até o ano de 1993, período de sua última aparição.  Na mesmo época, a cantora teve as duas pernas amputadas, por complicações da diabetes. A diva do jazz nos deixou em 1996, em Beverly Hills, Califórnia, aos 79 anos.

Vale a pena relembrar os sucessos dessa cantora que marcou época e contribuiu para a cultura norte americana, sendo eternamente lembrada como a rainha do Jazz!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *