Remake de Pantanal pode estar sendo produzido pela Rede Globo
7 de julho de 2020
vírus HIV
Médicos brasileiros anunciam paciente vivendo sem vírus HIV há 17 meses
7 de julho de 2020

Jari Jones – Modelo negra e trans celebra campanha da Calvin Klein

A campanha Proud In My Calvins dominou a fachada da loja da Calvin Klein em Manhattan, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos. O outdoor gigantesco é estrelado por Jari Jones, uma das nove modelos elencadas para participar do shooting internacional da etiqueta norte-americana. Para celebrar a conquista, a ativista negra e trans estourou uma champagne em frente à loja, na última semana, e registrou o momento em seu Instagram. Os 171 mil seguidores de Jari também comemoram o destaque, e não demorou para a postagem ganhar grande repercussão nas redes sociais.

Jari Jones dividiu a alegria. “Estava procurando a minha vida inteira por momentos, mas cansei de procurá-los. Então, eu decidi criá-los. Não é para mim, mas para o próximo sonhador esquisito, trans, deficiente, gordo, preto, que está esperando o seu momento de brilhar”, legendou a modelo na galeria de fotos comemorativas.

Na campanha, a ativista aparece trajando peças da coleção especial voltada ao mês do Orgulho LGBTI de 2020. No clique que ganhou destaque em NY, Jari Jones veste um maiô preto com a logomarca colorida da Calvin Klein estampada na lateral da peça. A produção foi arrematada por meias também recém-lançadas na linha. Em outro registro, Jari aparece com regata cropped, com estampa centralizada.

Depois de décadas mostrando corpos dentro dos padrões de beleza majoritariamente brancos a Calvin Klein direcionou os holofotes a Jari Jones. A modelo negra, transgênero, bissexual e ativista é aplaudida por todo o mundo.

“Foi uma honra e um prazer mostrar o meu eu mais autêntico e nas fotos posar com um corpo que, muitas vezes, foi demonizado, assediado, feito parecer feio, indigno e até morto.” comentou Jari Jones.

O time da nova campanha também é composto pela drag queen brasileira Pabllo Vittar, além de nomes como Tommy Dorfman, Mina Gerges, Gia Woods, Ama Elsesser, Reece King, e o casal Chella Man e MaryV. Os protagonistas posaram para as lentes do fotógrafo norte-americano Ryan McGinley.

Pelo Instagram, a modelo reforçou a importância da diversidade. “Apresento esta imagem a mim mesma e a tudo o que meu corpo representa para minha comunidade e família escolhida, na esperança de que eles se vejam mais claramente do que nunca e percebam ainda que são dignos de celebração, compaixão, amor e gratidão”, afirmou Jones.

A publicação acumulou mais de 228 mil curtidas. No entanto, entre os 4 mil comentários, alguns internautas deixaram frases racistas e atacaram a ativista. A modelo Jari Jones deixou claro o sentimento de honra por estar fazendo parte da campanha, mas também destacou que ainda há um caminho longo a ser percorrido.

View this post on Instagram

REVEALING THE UGLY : Learning today that though this ride will be such a blessing from the universe , god and the ancestors , there are things and people, miserable behind computer and phones screens that will try to suck out every ounce of joy I have left in my body. It comes with the territory I guess. It comes with showing the world that Black folks, that Trans folks , that Fat folks can be celebrated and loved and empowered publicly. I’m practicing self love everyday , I’m practicing boundaries everyday , I’m practicing balance everyday to armor myself for this fight but I know it’s gonna be a tough road ahead but like my queer trans ancestors belived, the people and the community and the youth I’m doing all this for ….are worth the mental ass kicking!!!!! Today I pull from the strength of @alokvmenon @huntythelion @tessholliday @luhshawnay @andrejworldwide @watchshayslay @ihartericka @aaron___philip @fatfemme and all of those who hold my heart strings , that have gone through mental and maybe sometimes physical ass kickings, but stayed resilient , so that I could reach this point today. Thank you for your words that are holding me today. Thank you for your words that are wiping the blood off my lip today. Thank you for your words that are allowing me to smile through the punches. Thank you for your words that remind me that we are worth it. . . #translivesmatter #blacklivesmatter . . #transgender #trans #blacklivesmatter #diversity #marginalized #thisisamerica #freedom #blacklivesmatter #bodydiversity #effyourbeautystandards #curvemodel #influencer #visiblyplussize #plussize #plusmodel ##plussizemodel #bodypositive #transmodel #revolution #liberation #newyork #editorialphotography #editorial #photography

A post shared by Jari Jones (@iamjarijones) on

Dois dias depois da primeira postagem, Jari Jones compartilhou uma nova galeria no Instagram. Na postagem, a modelo denunciou mensagens de ódio e montagens que estão repercutindo de forma negativa na internet.

Entre os comentários, apareceram frases como “não neste país” ou “a Calvin está louca”. Na descrição da nova foto, Jari lamentou o ocorrido e contou o que aprendeu com o momento. Também agradeceu aos que estão por perto e dão forças a ela.

“Obrigada por suas palavras que estão limpando o sangue do meu lábio hoje. Obrigada por suas palavras que me permitem sorrir com os socos. Obrigada por suas palavras que me lembram que valemos a pena”, concluiu.

A campanha com Jari Jones

Para divulgar a nova coleção, a Calvin Klein selecionou um time de nove modelos. O número representa o maior elenco de uma campanha da linha Pride da marca. Em comunicado, a label disse que os profissionais foram escolhidos por carregarem histórias inspiradoras. Toda a campanha propaga mensagens sobre identidade e autoestima.

A coleção #ProudInMyCalvins foi lançada em parceria com a OutRight Action International. O lucro arrecadado com as vendas da nova coleção será destinado à comunidade LGBTI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *