O que seria do marketing brasileiro sem os trocadilhos???
14 de agosto de 2018
Sebrae Secultfor discutem projetos na área da cultura e economia criativa
15 de agosto de 2018

Ao som de hits góticos, como Bela Gugosi’s Dead, do Bauhaus, e Temple of Love e Walkaway, do Sisters of Mercy, a À La Garçonne desfilou na manhã desta segunda, 13, no MASP, sua coleção 02-2018. Fetiche, cultura underground, streetwear e luxo se misturam na passarela. A coleção desfilada veio imersa em referências noturnas, como dark, gótico, clubber e punk, onipresentes nas criações de Alexandre Herchcovitch ao longo de sua carreira. Desta vez, ao ir de encontro ao streetwear de luxo, que dá a matérias primas como moletom uma interpretação sofisticada, o resultado foi uma coleção mais madura e elaborada.

Na segunda coleção da À La Garçonne de 2018, entram em cena ainda referências tribos da noite, como ravers e clubbers num Smile desfigurado, com o sorriso derretendo, nas peças esportivas e nos pontos de cores vibrantes (pink e verde-limão) em meio ao preto e branco predominantes da cartela. E também a darks, góticos e punks também, especialmente na austeridade dos looks, nas peças puídas e destruídas com rasgos e detalhes queimados, na aplicação dos muitos metais, correntes e zíperes usados tanto de maneira funcional quanto decorativa, nos colares com múltiplos pingentes de esqueleto e nas Melissas com solas pesadonas.

Focado na diversidade e na aparência não convencional, o desfile trouxe uma proposta de beleza andrógina e fora dos padrões. O casting, formado por profissionais e não modelos, foi alvo de polêmica, já que a produção do evento foi questionada pelo Sated (Sindicato dos Artistas), que recebeu denúncias de trabalho não remunerado efetuado por parte de integrantes do casting do desfile, selecionado, em parte, através das redes sociais.

Além disso, filmes de terror cult – como “Frankenstein” e “A Múmia” deram o tom da coleção, que tem um ar noturno e cara de que foi feita para ser usada na pista de dança. As referências à cena clubber do fim dos anos 90 e 2000 são bem explícitas e têm a cara do designer. Confira um pouco da coleção na galeria abaixo:

O que achou da coleção apresentada pela À La Garçonne?! Conta pra gente nos comentários!

Fotos: Ricardo Toscani.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *