Assembleia Legislativa debate reforma do ensino médio nesta segunda-feira
28 de novembro de 2016
UFC oferece 311 bolsas estudantis em diferentes programas
28 de novembro de 2016

Essa semana, o música do todo o mundo faz uma viagem não apenas à Europa, como também no tempo. Não apenas porque a banda da qual vamos falar hoje tenha muitos anos de carreira, mas também por que seu estilo remete à música medieval. O música de todo mundo traz essa semana os alemães do Blind Guardian e o seu metal folk melódico!

Antes de qualquer coisa, por favor, não vamos brigar aqui pela real definição do Blind Guardian. Metal melódico, power metal, folk metal, gente, é tudo metal e metaleiro que se preze gosta é de música boa, seja qual for o estilo, não é mesmo? Então preparem-se para bater cabeça que as guitarras vão troar com o Blind Guardian!

O Blind Guardian surgiu na Alemanha em meados dos anos 1980. Eles se inspiram, como já falamos, nas músicas medievais, com toques de música celta, das mitologias nórdicas e muito, mas muito das obras de J. R. R. Tolkien, o autor de obras como O Hobbit e O Senhor dos Anéis. Aliás, vamos começar com uma das músicas que leva o nome dessa obra, Lord of The Rings (e sim, eles cantam em inglês):

Bonitinha, não é mesmo? Na verdade, o Blind Guardian tem um disco inteiro de músicas dedicadas à obra de Tolien, chamado A Night in the Middle-Earth, mas há músicas em homenagem ao autos em quase toda a discografia da banda. Outro grande sucesso do grupo se chama The Bard Song (Into The Forest), e faz a gente se sentir em uma taverna cheia de anões, hobbits e outros seres mágicos, batendo canecas cheias de cerveja e cantando:

Mas não se enganem achando que de metal o Blind Guardian não tem nada. Não falamos que eles também se inspiram na mitologia nórdica? Pois bem, um dos maiores hits da banda, Valhalla, fala exatamente dos deus nórdicos e seu “paraíso”, que seria a tal Valhalla. E o som, dessa vez, é bem mais pesado. Olha só:

Os alemães estiveram em Fortaleza em 2015 para um show que arrastou uma multidão de fãs ao Siará Hall. Seu mais recente disco trabalha sonoridades bem diferentes. Em uma mesma canção, vamos do melódico ao metal mais pesado, sempre com letras que abordam mitologias, deuses, forças ocultas e claro, muitas guitarras distorcidas. Uma das favoritas desse novo disco Beyond the Red Mirror da gente aqui no Pátio Hype é Prophecies:

E então, uma banda bem bacana vinda direto da Alemanha… Interessante, não acham? E vocês, tem alguma banda que não seja nem dos EUA, nem da Inglaterra e muito menos brasileira para sugerir?

Fotos e vídeos: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *