Audiência pública discute criação do Batalhão de Polícia Feminino
12 de dezembro de 2016
Instituto Alfa e Beto visita Sobral para conhecer a rede de ensino do município
12 de dezembro de 2016

As discussões que visam encontrar alternativas que garantam o funcionamento da Cooperativa Social dos Centros de Atenção Psicossocial (COOPCAPS), resolvam os problemas estruturais dos Caps e fortaleçam a política de saúde mental de Fortaleza continuam a todo vapor na Câmara Municipal de Fortaleza. Nesta segunda-feira (12), os representantes da COOPCAPS, técnicos e o Jurídico da SMS, se reunirão novamente para buscar estratégias de como pode ocorrer o funcionamento da cooperativa e demais demandas do grupo.

Nas reuniões anteriores, que ocorreram no Legislativo na última semana, os representantes da COOPCAPS haviam informado a existência de uma ordem de despejo contra a Cooperativa, o que foi negado pelo jurídico da SMS. Segundo a Dra. Luciana Alves, Coordenadora Jurídica, o que ocorre é uma ilegalidade no que se refere ao prédio onde está abrigada a cooperativa. Ela ainda afirma que a gestão tem o interesse de continuar com o serviço, mas que isso deve ser feito dentro da legalidade.

O encontro também foi acompanhado também pela Comissão de Implementação de Controle Social, por membros do Conselho Municipal de Saúde, do Fórum da Luta Antimanicomial e usuários da rede.

 

coopcaps-2

Lembrando que a COOPCAPS é uma instituição constituída por pessoas com transtornos mentais, usuárias do CAPS da SER III, e que tem como objetivo reintegrá-los ao convívio social e ao mercado de trabalho através da economia solidária. A cooperativa não tem fins lucrativos e cumpre, além da função social, um objetivo terapêutico junto aos usuários do Centro de Apoio Psicossocial, pois realiza serviços de reabilitação social a pacientes das unidades de tratamento com distúrbios psicológicos e mentais.

Diante de um papel tão importante que a cooperativa presta a toda a sociedade fortalezense, a torcida do Pátio Hype é para que os debates continuem, mas com agilidade, e que sejam encontradas as melhores soluções para atender as demandas do grupo.

Fotos: Reprodução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *