Enxaqueca – 4 remédios caseiros para se livrar do problema!
9 de agosto de 2021
Esponja de maquiagem – 7 tipos de esponjas e como usá-los
10 de agosto de 2021

Previdência privada – Guia rápido para planejar o seu futuro!

Você sabe o que é previdência privada? Essa modalidade de investimento, permite acumular recursos a longo prazo para garantir um futuro estável. Incrível, não é? Pensando nisso, o Pátio Hype preparou essa matéria com tudo que você precisa saber sobre a previdência privada. Confere í!

Antes de mais nada, a previdência privada nada mais é do que uma modalidade de investimento no qual você planeja sua aposentadoria, acumulando valores por um determinado período. Além disso, ao contratar uma previdência, a decisão dos valores de aplicação são escolhidos por você! Confira agora algumas dicas sobre a previdência privada:

1 – Defina seu perfil

Em primeiro lugar, é preciso saber qual o seu perfil de investidos. São eles: Renda fixa( Menos suscetíveis à volatilidade e indicados para perfis conservadores) e os fundos de ações e multimercados, para os investidores mais experientes.

2 – Modalidade previdenciária

  • PGBL: Essa modalidade da previdência é indicada para quem declara o Imposto de Renda pelo formulário completo. Vale lembrar, que neste tipo de plano, a tributação no momento do resgate incide sobre o valor total resgatado. No entanto, a vantagem é que as contribuições ao plano podem ser deduzidas da base de cálculo do imposto na declaração de ajuste anual do IR até o limite de 12% da renda bruta anual tributável para aqueles que contribuem também para a Previdência Oficial (INSS ou regime similar)
  • VGBL: Essa modalidade da previdência é uma ótima opção para quem é isento, declara o Imposto de Renda pelo formulário simplificado ou já atingiu o limite máximo de 12% de dedução fiscal ofertado pelo PGBL. A vantagem aqui, é que a tributação do IR, no momento da retirada do dinheiro, incide apenas sobre os rendimentos das contribuições.

3 – Resgate

Para retirar o dinheiro, é preciso escolher a forma que o valor será resgatado. Para isso, existem duas opções, ou a remuneração mensal por um período determinado ou o valor integral.

4 – Regime tributário

Antes de aderir ao plano da previdência privada, é preciso selecionar qual regime tributário será adotado, são eles:

  • Progressivo: Também conhecido como regime constante ou compensável, o imposto de renda no momento do resgate será de 15% a título de antecipação do imposto. Além disso, os valores resgatados devem ser colocados na declaração de ajuste anual de IR acrescentando-se à receita bruta anual. Este regime tributário é indicado para quem quer ficar menos tempo investindo.
  • Regressivo: Indicado para quem pretende permanecer mais tempo investindo, o regime regressivo, também chamado de definitivo, o IR é cobrado exclusivamente na fonte e não pode ser compensado ou restituído na declaração de ajuste anual do Imposto de Renda.

5 – Reanalise os seus objetivos

A carteira da previdência privada permite que o participante possua uma certa flexibilidade, por isso, é interessante rever os planos com frequência. Pensando nisso, veja se o plano condiz com seu momento de vida e caso seja necessário, revise e busque outros fundos, já que nessa modalidade previdenciária é possível alterar sua estratégia de investimento a qualquer momento.

E aí, curtiu? Conta para a gente o que achou e comenta aqui embaixo qual dica mais chamou sua atenção. Lembre-se de visitar o Pátio Hype regularmente para ler mais matérias como essa. Até a próxima!

Fotos: reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *