Truque mágico – 5 dicas essenciais de maquiagem!
8 de abril de 2016
Agenda do fim de semana
8 de abril de 2016
 Fotografia de encher os olhos! Assim é a exposição “Afetos Urbanos”, que chega ao Sobrado Dr. José Lourenço, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), trazendo o olhar dos fotógrafos Marília Oliveira e Régis Amora, membros do Coletivo Fotográfico “Descoletivo”, sobre o Centro de Fortaleza. Dialogando com outras linguagens artísticas – como o grafite e o estêncil -, as imagens expostas propõem uma releitura das memórias afetivas de moradores, trabalhadores e frequentadores do centro da cidade. A exposição parte da elaboração do projeto homônimo, que reúne entrevistas informais e registros do cotidiano de personagens que circulam pelo Centro da cidade. Composta por 22 fotografias, além de vídeos documentais, “Afetos Urbanos” terá abertura neste sábado, 9/4, a partir das 10h,  com a realização de um debate com os autores da exposição no próprio equipamento da Secult. A entrada é franca.

 Por meio do projeto “Afetos Urbanos”, que contou com o patrocínio dos Correios em 2015, os artistas vivenciaram durante mais de seis meses, manhãs e tardes de encontros com pessoas que transitam, moram e/ou ocupam o Centro, colhendo depoimentos, ouvindo suas estórias, criando imagens e, sobretudo, reconhecendo, a partir dessas pessoas, o bairro tão cheio de importância e significados. “Essas memórias afetivas ganham o espaço expositivo, promovendo a valorização do patrimônio imaterial fortalezense e sua importância na constituição dos sujeitos enquanto seres coletivos”, explica o curador da exposição, Fernando Jorge.
sobrado dr josé lourenço nopatio3

A exposição se destaca, então, pela narrativa em transmídia. “Cada suporte abarca em sua especificidade uma face da narrativa, e o espectador terá uma experiência mais completa experimentando cada uma delas”, explica o fotógrafo Régis Amora. Assim, “Afetos Urbanos” traz algumas fotografias com intervenção em grafite e estêncil do “Acidum Project” e vídeos documentais com as entrevistas desses personagens do Centro. O público também será convidado a intervir em uma das fotografias da mostra.

O projeto também se desdobra por outros caminhos, reverberando em outras mídias, como o site e um livro, com previsão de lançamento em agosto. O site (www.afetosurbanos.com.br) irá apresentar algumas imagens da exposição, informações gerais sobre o projeto e disponibilizar para download o material educativo desenvolvido especialmente para utilização de escolas de ensino fundamental e médio.

sobrado dr josé lourenço nopatio2

Conheça os artistas do projeto Afetos Urbanos

Régis Amora – Fez parte da Diretoria do Instituto da Fotografia do Ceará – Ifoto. Membro fundador do Descoletivo. Teve trabalhos publicados em revistas especializadas de circulação nacional como Digital Photographer Brasil, além de veículos como jornal O POVO, e Jornal da Paraíba. Foi finalista do prêmio La Sallita, na Espanha, com o ensaio Corpos. Junto ao Descoletivo, integrou a programação oficial do Festival Internacional “Encontros da Imagem”, em Braga, Portugal, como resultado do primeiro lugar por voto popular no “Encontros de Agosto”, exposição coletiva realizada na capital cearense, com a obra “Para Jablonski, uma cidade”. Em 2014, a convite da Semana Nacional de Museus, foi realizada a exposição individual “Próxima Parada”, com curadoria de Marília Oliveira. Organizou e participou da exposição coletiva Corpo Alheio, no SESC SENAC Iracema, além de outros equipamentos da cidade, a exemplo do Museu da Cultura Cearense, Centro Dragão do Mar, Travessa da Imagem e Mercado dos Pinhões. No audiovisual, experimenta diversas técnicas e linguagens, como no curta-metragem “O Sonho de Nina” e nos vídeos experimentais “Desanuviar” e “Matriz”. Atualmente. Régis dedica-se à produção do trabalho Cine Casa que participou, em 2015, do Festival Encontros de Agosto em Fortaleza e foi exibido no Festival Outono Fotográfico na Espanha.

Marília Oliveira – Diretora do IFOTO – Instituto de Fotografia do Ceará -, onde ministra cursos de fotografia básica e desenvolve atividades educativas e de fomento e difusão da fotografia. Membro fundadora do Descoletivo, coletivo de fotógrafos que realiza ações de intervenção urbana trazendo à rua exposições itinerantes. Participa da publicação fotográfica Olho de Peixe, atualmente em sua terceira edição.

Investiu em pesquisa etnográfica de 2007 a 2013 acerca da infância em situação de risco, mapeando o estado do Ceará através das vivências individuais de crianças socialmente vulneráveis e vítimas de violência. É membro fundadora do coletivo Descoletivo, que promove diversas ações urbanas e exposições coletivas na cidade de Fortaleza, tendo como exemplo o “Ensaios para Demolição”, projeto de ocupação artística de imóveis em demolição, reunindo artistas locais e convidados. Nesta ação, expôs com artistas como Tiago Santana, Tibico Brasil e o coletivo argentino SUB. Junto ao Descoletivo, integrou a programação oficial do Festival Internacional “Encontros da Imagem”, em Braga, Portugal, como resultado do primeiro lugar por voto popular no “Encontros de Agosto”, exposição coletiva realizada na capital cearense, com a obra “Para Jablonski, uma cidade”. Em 2015, contemplada pelos Correios, realizou a exposição Afetos Urbanos, no período de julho a outubro, período de lançamento do livro homônimo, parte integrante do projeto. Participou, neste ano, dos festivais de arte urbana Além da Rua e Festival Concreto, além de ser selecionada pela segunda vez para a coletiva “Encontros de Agosto”. Atualmente pesquisa a autobiografia e investe nas experiências sobre a cidade com o Descoletivo.

Programe-se e confira a exposição, que está imperdível!
Serviço:
 

Exposição Afetos Urbanos
Local: Sobrado Dr. José Lourenço (Rua Major Facundo, 154, Centro)
Data: de 9 de abril até 11 de junho de 2016.
Entrada gratuita

Fotos: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *