Oportunidade de bolsa de estudo no exterior para alunos de Turismo
13 de janeiro de 2017
Brincando e Pintando – Especial Circo de Todas as Artes
13 de janeiro de 2017

Você sente fome depois de uma bebedeira? A ciência explica o porquê

Brasileiro que se preze gosta de ostentar a fama de que somos um país cervejeiro. Fato, aliás, incontestável! Afinal, com tanta cerveja boa por aí, muitas vezes acaba sendo inevitável beber um pouco a mais, não é mesmo? Mas você já observou que quase sempre que nos aventuramos por uma noite de bebedeira, alguma rede de fast food acaba fazendo parte do roteiro? Se a paradinha básica em algum Mac Donald´s da vida não acontecer, o assalto a geladeira é garantido quando chegarmos em casa.

Se você faz parte do time que sempre que enche a cara pede de dois a três lanches diferentes ou chega em casa devorando tudo, a ciência pode ajudá-lo a compreender o porquê dessa fome desmedida. 

Bebedeira e comilança

“Não tem nada a ver uma coisa com a outra”. Será? De acordo com a ciência, tudo depende do modo como tratamos as coisas, como nós as consideramos. Na verdade, sem rodeios, tudo tem a ver com o álcool mesmo.

Através de um estudo realizado com roedores – ainda não testado em humanos -, cientistas descobriram que o álcool consegue ativar células do nosso cérebro que nos estimulam a sentir uma urgência para comer. Ou seja, é por isso que, quanto mais bebemos, mais queremos aquele pedaço de pizza que faz o estômago roncar.

bebedeira-2

Para chegar a essa conclusão os pesquisadores ofereceram um verdadeiro festival de álcool, que durou três dias, aos roedores. Daí, quanto mais “bêbados” os Stuart Littles ficavam, mais eles comiam – diferente dos ratinhos sóbrios.

Outras pesquisas já haviam descoberto que as pessoas gostam muito de se alimentar depois de uma bebedeira, mas o motivo era um mistério. O bom é que agora podemos usar a desculpa de que tudo é culpa do álcool ao chegar de uma noitada e  pegar o celular para pedir uma pizza tamanho família só para uma pessoa.

 

Fotos: Reprodução. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *