É um pássaro? É um avião? Segundo Ney Matogrosso é um OVNI!!!
25 de setembro de 2018
Que tal receber frutas, verduras e legumes orgânicos em casa?
25 de setembro de 2018

7 maneiras de ensinar o seu filho a desenvolver empatia todos os dias

Com tantas notícias negativas, cheias de discurso de ódio, é possível se perguntar por onde anda a empatia e a gentileza? Sendo então, uma tarefa difícil para as mamães e os papais criar os filhos para que eles sejam carinhosos e amorosos.

Por isso, o Pátio Hype listou sete conselhos de psicólogos e especialistas para ajudar as crianças a desenvolverem a empatia. Veja mais logo abaixo!

1.Converse sobre sentimentos

É fundamental trabalhar a alfabetização emocional. Por exemplo, com a tecnologia as crianças estão cada vez mais distantes de conversas olho a olho. Portanto, ensine ao seu filho a olhar sempre a cor do olho da pessoa com quem ele está conversando. A segunda dica é, ensine-o a identificar as suas emoções. Quando ele estiver bravo, diga: “eu sei que você está bravo” ou “percebi como você ficou triste”. É essencial que os pequenos compreendam seus próprios sentimentos e só assim, eles poderão ter empatia pelos outros.

Por fim, manter o ensinamento sobre os sentimentos é tão importante quanto ensinar as cores ou os números, por exemplo. Quando estiver em um local público, pergunte ao seu filho: “está vendo aquela moça ali? Ela está triste ou está feliz?”. Dessa forma você poderá conversar com ele, de forma que ele entenda como o seu colega se sentiu quando ele pegou o seu brinquedo ou quando ele bateu em alguém.

2.Use a tecnologia a seu favor

Ao assistir um filme, série ou ler um livro com a criança, dialoguem sobre os personagens empáticos e gentis, assim como sobre os personagens ruins também. Fale sobre os sentimentos dos personagens ou sobre como as situações poderiam ter sido diferentes se o personagem fosse gentil. Quer uma dica de filme e livro? Que tal Harry Potter e O Sol é Para Todos?

3.Dê o exemplo

Como em quaisquer outra atividade, os filhos se espelham nos pais. Portanto, se você não pratica a empatia, apesar de falar para o seu filho perceber o sentimento do coleguinha, ele vai perceber que você não age dessa forma e repetirá o comportamento. Do mesmo modo, é importante que você também fale sobre as suas emoções com o seu filho. Por exemplo, “hoje eu estou frustrado” ou “estou animado”.

Respeite as emoções da criança também, para que assim, a compaixão também esteja presente no seu relacionamento com o seu filho. Fale frases como, “sei que você está desanimado, que tal assistir um desenho animado e em seguida, irmos para a escolha?”. Lembre-se, não é ceder às vontades do pequeno, mas mostrar que se importa com os sentimentos dele em certas situações.

4.Reconheça quando ele for gentil

Quando ele for gentil com alguém, elogie-o. E não somente quando ele tiver bons resultados na escola. Fale, “muito bem filho, você ajudou aquele menino e ele ficou bem feliz, você viu?”. Dessa forma, ele vai notar a importância da gentileza e da empatia.

5.Mostre as diferenças

Diferenças essas que podem ser de cultura, religião, etnia, aparência física ou deficiências. Eduque-o e exponha-o a pessoas diferentes. Algumas alternativas para ele ter essas experiências são lendo, assistindo filmes e programas de TV, comendo comidas típicas de outros lugares, indo a museus, participando de eventos e fazendo trabalhos voluntários. Além disso, responda as perguntas que surgirem logo após ter essas experiências na escola, na família ou no próprio bairro. E claro, nada de piadas maldosas.

6.Admita seus erros

Ao ser grosseiro com algum funcionário de loja, por exemplo, converse com as crianças e mostre que você sabe que errou. Diga, “nossa, a loja estava cheia, eu poderia ter sido mais gentil”. Fazer com que eles testemunhem esse tipo de comportamento e logo em seguida corrigir o seu erro, é essencial para que a criança entenda que ser gentil é a maneira correta de agir.

7.Faça da empatia uma atividade da família

Conversem sempre sobre o que cada um fez de bom ao longo do dia, faça trabalhos voluntários em família, entre outros. Por exemplo, se o seu filho é apaixonado por esporte, faça ele ajudar um colega que tenha dificuldade na atividade. Além disso, dialoguem sobre como cada um vêm aplicando a empatia em suas vidas.

Por fim, sempre que observar um ato de gentileza em meio as pessoas, aponte e mostre a criança o que acabou de acontecer, pois é importante valorizar esses pequenos gestos, por menores que sejam. E você, o que faz para a empatia ser presente na vida da sua família? Conta para a equipe do Pátio!

Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *