Barriga de tanquinho!
22 de outubro de 2011
Espetáculo “Terror: A Comédia” no Teatro Via Sul
24 de outubro de 2011

Já imaginou redes sociais similares ao Orkut ou ao Facebook, mas com a diferença de serem direcionadas para quem quer encontrar alguém disponível para um caso paralelo ao relacionamento oficial? Em Junho, o No Pátio mostrou aos leitores os novos sites de infidelidade que chegaram ao país. Isso mesmo! Sites que facilitam a famosa “pulada de cerca”! O interesse do público no assunto foi tão grande– visto o elevado número de acessos a matéria, de “curtições” em nossa página no Facebook e de comentários deixados No Pátio – que resolvemos mostrar para você o desenrolar dessa história!

No mês em que a matéria intitulada Traição.com foi publicada, um dos sites menciondos, o SecondLove, havia sido lançado há aproximadamente um mês e a repercussão sobre essa forma, digamos, alternativa de encontrar um parceiro para uma relação extraconjugal já era imensa!

Com tantos pedidos de informação, resolvemos procurar a porta voz do site SecondLove, Anabela Santos, para saber mais sobre essa forma no mínimo curiosa de trair o parceiro! Claro, o bate papo foi ótimo e rendeu revelações sobre estatísticas de usuários brasileiros, dados gerais, expectativas, política de privacidade e Anabele ainda nos contou que o SecondLove será lançado em breve em outros dois países!

Quer saber mais sobre essa forma nada convencional de manter relações extraconjugais? Então, leia a entrevista concedida por Anabela Santos

No Pátio: Como a empresa se defende quando alguém diz que esse tipo de serviço é um incentivo a traição?
Anabela Santos: Nós não obrigamos ninguém a inscrever-se no SecondLove.com.br. De acordo com vários estudos realizados, 1 em cada 3 adultos comete adultério pelo menos uma vez na sua vida. Nós acreditamos que os casais dos nossos tempos querem escapar à rotina e viver novas experiências, mas, o problema é que por vezes essas fantasias são realizadas com alguém do grupo de trabalho ou do círculo de amigos e a maior parte dos casamentos termina por causa disso. Em muitos casos os nossos usuários simplesmente gostam de flertar e partilhar experiências e dessa forma reduzem a monotonia que pode haver numa relação longa. Estes comportamentos podem ser vistos diariamente em bares ou danceterias a diferença é que com o SecondLove.com.br podem ter a certeza que as pessoas que estão lá encontram-se na mesma situação, nós apenas damos a oportunidade para conhecerem pessoas com a mesma necessidade, preocupações, vontades, etc.

NP: Qual a média da faixa etária das pessoas que procuram o cadastro no Second Love? Vocês sabem um perfil da maioria dos usuários que procura o site?
AS: O maior grupo situa-se entre as faixas etárias dos 35-55 anos que é o mesmo padrão de comportamento em todos os países. Sendo que os 70% dos cadastros é do sexo masculino e os restantes 30% do sexo feminino.

NP: Quais os mecanismos de interação que o site oferece? Há a possibilidade de chat, trocas de e-mails? Uso de webcam?
AS: Os usuários após pesquisarem podem enviar um wink “piscadela” para chamarem a atenção da pessoa e depois enviarem e-mails. O chat está a ser desenvolvido e irá estar brevemente disponível.

NP: O sucesso do site é uma surpresa para você? Havia receio de que o SecondLove sofresse algum tipo de rejeição pelos usuários, por ajudar a encontrar um segundo parceiro?
AS: Os sites estão a correr bem em todos os países onde operamos, por isso parece que o SecondLove vem preencher uma lacuna mundial para um grande grupo de pessoas.

NP: E esse sucesso, para você, ocorre pelo fato da liberdade que o usuário tem em conhecer outras pessoas?
AS: Do fato de ser muito claro para ambas as partes. Ele é direcionado para pessoas que já estejam numa relação e estejam à procura de outras pessoas para flertar ou para terem mais atenção e eventualmente para conhecer pessoalmente se essa for a sua vontade.

NP: Você acredita que a traição ou o flerte via redes sociais pode ser uma forma de apimentar a relação?
AS: Não pudemos esquecer que em muitos casos os nossos membros simplesmente gostam de flertar e partilhar experiências e dessa forma reduzem a monotonia que pode haver numa relação longa.

NP: O que leva uma pessoa a fazer parte de uma rede social como o Second Love?
AS: Hoje em dia as pessoas vivem com a agenda lotada e com pressa, antigamente quando íamos a casa de amigos víamos as fotografias das férias deles em conjunto. Hoje em dia, não há tempo para isso e vemos as fotografias dos amigos no facebook. O mesmo se passa quanto a conhecer pessoas num relacionamento para paquerar, conversar e conhecer, por isso o secondlove.com.br

NP: A empreitada em solo brasileiro foi mais fácil que em outros países? Existe um país onde o Secund Love faça mais sucesso?
AS: O público Brasileiro tem reagido muito bem à ideia e milhares de pessoas já se cadastraram. O SecondLove tem sido um grande sucesso em todos os países onde operamos.

NP: No Brasil todo vocês tem muitos usuários ativos. Existem dados para o controle e que possibilitem saber de onde partem esses usuários?
AS: No momento já temos 100 mil usuários ativos. São Paulo: homens 18345 mulheres 5687; Rio de Janeiro homens 8356 mulheres 2674; Minas Gerais: homens 6020 mulheres 1686: Rio Grande do Sul: homens 5267 mulheres 1527

NP: Quais os preços atuais para quem quiser se cadastrar?
AS: Efetuar um cadastro é gratuito no secondlove. para utilizar todas as funcionalidades do Secondlove tem que possuir uma assinatura temos uma promoção de na compra de 2 meses paga 69,90 cada mês, com esta assinatura tem acesso a enviar mensagens a todas as mulheres cadastradas no Secondlove sem restrição.

NP: Há previsão para a chegada do Second Love em outros países? Que países seriam esses?
AS: Vai ser lançado no México, Argentina e Chile, neste momento nestes países estamos fazendo a base de usuários para puder abrir os sites.

NP: No site diz que apenas pessoas com mais de 25 anos podem participar, mas na hora do cadastro, como vocês sabem se o candidato está mesmo falando a verdade, visto que os espaços pedem nome, e-mail, estado civil, cidade e ano de nascimento – mas não há como saber se é uma data verídica?
AS: Não consegue cadastrar-se ao colocar a sua idade real se for menor de 25 anos de idade, por outro lado todos os textos são verificados manualmente e algumas pessoas colocam que têm 22 anos no texto sobre si e imediatamente é suspenso.

NP: Em relação à política de privacidade, como o Second Love assegura que as informações não serão disseminadas?
AS: Ao se cadastrar os usuários utilizam apelidos (o nome verdadeiro é mantido em sigilo), as fotos, cujo controle de visualização é dos próprios usuários que permitem escolher quem os pode visualizar. Para proteger a identidade dos nossos usuários o SecondLove mantêm toda a informação sob sigilo absoluto, e só um grupo restrito de pessoas têm acesso às informações dos membros.

 

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *