Cerca de 95 mil turistas passarão pelo Ceará no Carnaval
26 de fevereiro de 2014
“Brincando com a Galinha Pintadinha” no Shopping Parangaba
27 de fevereiro de 2014

Uso de agrotóxicos no mundo é liderado pelo Brasil

No entanto, a fiscalização abrange uma quantidade muito pequena de culturas

agrotoxico

O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. No entanto, a fiscalização sobre o uso desses defensivos abrange uma quantidade muito pequena de culturas, colocando, assim, a saúde da população e os recursos naturais em risco.

Em 2012, apenas 13 vegetais foram avaliados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Nesse mesmo período, os Estados Unidos e a União Europeia contaram com uma lista de 300 análises, feitas pela Food and Drugs Administration (FDA), nos EUA, e pela European Food Safety Authority, na Europa. Além disso, 22 dos agrotóxicos mais comuns em território nacional são proibidos pelos dois órgãos estrangeiros.

Entre os alimentos mais contaminados e altamente consumidos por brasileiros estão as frutas e os vegetais, como cenoura, alface, laranja, arroz, tomate, pimentão, morango e soja, que é a cultura que mais utiliza agrotóxicos.

agrotoxico2

O impacto disso é sentido diretamente na saúde da população. Os trabalhadores rurais que lidam com os defensivos agrícolas na lavoura estão diretamente expostos, mas as pessoas que comem esses alimentos também estão, já que, não importa qual seja o cuidado com a lavagem, é impossível se livrar dos pesticidas previamente usados no plantio.

As consequências do agrotóxico no organismo podem ser: câncer, problemas neurológicos, má formação fetal e desregulação endócrina. Além disso, também existe todo o impacto que eles podem causar à natureza. Os alimentos de origem animal, como carnes, ovos, leites e outros industrializados não são sequer examinados quanto ao teor de agrotóxico presente em sua composição. A estimativa da Organização Mundial da Saúde é de que, anualmente, 20 mil pessoas morrem em consequência da exposição e contaminação por agrotóxicos.

 

Fotos: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *