Coisas estúpidas que celebridades compraram
20 de abril de 2016
Atenção para pacientes que precisam de cirurgia de catarata é cobrada na Câmara
20 de abril de 2016

Ela é uma pequena cápsula branca e azul, mas está causando muita polêmica entre políticos, médicos e a população em geral. O motivo: Apesar da sanção da presidente Dilma Rousseff autorizando o uso da cápsula que promete a cura do câncer, Anvisa e médicos ainda veem o assunto com preocupação.

Para saber a opinião dos internautas acerca do assunto, a enquete do portal da Assembleia Legislativa, realizada de 11 a 18 de abril, questionou a população se a fabricação e o uso da “pílula do câncer” (fosfoetanolamina sintética) sem o registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária deveria ser permitida.

Os resultados da enquete mostram que a maioria dos internautas (57,5%) se posicionou favorável à utilização da pílula por entender que é mais um recurso que o portador de câncer poderá usar, cabendo a ele a responsabilidade sobre os efeitos colaterais. Já para 38,4% dos internautas, a droga ainda deveria passar por mais testes em humanos antes de ser utilizada, por não ter sua eficácia comprovada. Outros 4,1% responderam que não tem opinião sobre o assunto.

O deputado Heitor Férrer (PSB) se posicionou contrário à opinião da maioria dos internautas, por entender “que não se pode jogar no mercado, para o uso dos consumidores, um medicamento que ainda não seja comprovadamente eficaz”. Segundo o parlamentar, “se a substância não passou em todos os testes a que foi submetida, a Anvisa não pode permitir ou estimular o seu uso”.

pílula do câncer 2

Já na avaliação do deputado Bruno Gonçalves (PEN), “é bastante arriscado que o medicamento seja utilizado sem a comprovação efetiva dos seus benefícios, sendo prudente aguardar a realização de mais testes científicos que garantam ou não a sua eficácia”.

Pela lei, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff no último dia (14), a ingestão da pílula do câncer poderá ser feita por livre escolha do paciente, que precisa ter um laudo médico que comprove o diagnóstico e assinar um termo de consentimento e responsabilidade.

E você, o que acha do assunto? Foi ou não uma boa medida liberar a pílula do câncer agora? O No Pátio quer saber…

Fotos: Reprodução. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *