Fortaleza está entre as capitais brasileiras com maior déficit habitacional
25 de novembro de 2013
CPI da Telefonia Móvel recebe representantes da Claro nesta terça-feira
25 de novembro de 2013

COP 19 estabelece acordo sobre desmatamento em países pobres

COP 19 estabelece acordo sobre desmatamento em países pobresNegociadores de uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) concordaram na última sexta-feira (22) com normas sobre financiamento de projetos para florestas em nações em desenvolvimento, abrindo caminho para investimentos bilionários de governos, órgãos de fomento e empresas privadas em esquemas para deter o desmatamento.

O acordo com “base em resultados” para financiamento da Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação de Florestas (Redd) foi um raro avanço nas conversações sobre o clima n aConferência da ONU sobre Mudanças Climática, a COP19, em Varsóvia, onde negociadores estão enfrentado dificuldades para obter algum progresso nas discussões sobre cortes de emissões e concessão de ajuda relacionada a mudanças climáticas.

O acordo foi “um outro grande passo à frente”, disse o ministro britânico de Energia e Mudança Climática, Ed Davey.

Pelas novas regras, o incipiente Fundo Verde para o Clima terá papel fundamental na canalização de recursos para projetos a governos, que, por sua vez, terão de criar agências nacionais para supervisionar o uso do dinheiro.

Os fundos irão para os países recebedores quando eles puderem provar ter reduzido emissões de carbono sem prejudicar comunidades locais ou a biodiversidade.

Os países também concordaram com normas sobre como medir e verificar os cortes de emissões de projetos florestais.

O desmatamento desempenha crescente papel nas negociações sobre o clima porque a perda de florestas representa aproximadamente um quinto das emissões de gases do efeito estufa, que os cientistas responsabilizam pelo aquecimento global.

O governo norueguês já pagou 1,4 bilhão de dólares em acordos bilaterais com alguns países, como Brasil, República Democrática do Congo, Guiana e Indonésia. O Banco Mundial, o Global Environment Facility e um crescente numero de empresas do setor privado também lançaram projetos.

 

Fonte: Reuters
Foto: reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *